Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

Percival, a sombra

Sir Wallace percorre os corredores do castelo acompanhado por uma sobra que jurou não o abandonar enquanto a sua morte não fosse vingada.

 

Wallace e Percival eram os melhores amigos. Ingressariam na Ordem do Templo mal fizessem 16 anos, após prestarem provas como cavaleiros.

Os cavaleiros da Ordem do Templo aceitavam poucos discípulos por ano e a competição era feroz entre os rapazes da região.

Percival foi atraiçoado por rapazes da aldeia vizinha e no treino para a prova de espada usaram traiçoeiramente uma espada perfeitamente afiada (nos treinos apenas eram admitidas espadas rombas), com que o feriram mortalmente.

 

Wallace, ao ver o seu amigo tombado, depressa jurou vingar-se da maldade.

Percival afirmou de imediato que o seguiria como uma sombra até que isso acontecesse.

 

Em modo de férias

Os finais de dia em Agosto, já mais frescos, convidam a agradáveis passeios à beira mar. 

Os Toledo, aproveitam bem todas as oportunidades que têm de ususfruir deste fantástio ambiente e transmitem já esse gosto à próxima geração.

O bébé Toledo palreia incansavelmente ao sentir o cheiro adocicado da maresia na maré baixa e bate palmas contente às garças reais que se alimentam delicadamente nos baixios.

Assusta-se um pouco com a barulheira dos corvos-marinhos, mas abre muito os olhos, regalado quando vê a enorme superfície de água azulinha mesmo à sua frente.

Será velejador diz a mãe. Biólogo diz o pai.

 

Deep down under #2

Chegaram reforços!

O Águas é amigo do Bolhas há imensos anos. Têm em comum esta paixão pelo mar e pela vida que nele habita.

 

Ao trocarem impressões sobre o último mergulho do Bolhas, o Águas disponibilizou-se de imediato para dar uma ajuda com o seu pequeno submarino de investigação.

 

Esta é uma oportunidade única e o Bolhas está contente da vida. Vão aproveitar para recolher alguns sedimentos do fundo da baía e trazer amostras de algas que por ali navegam ao sabor das ondas.

 

 

Deep down under

Aproveitando um dia com uma temperatura fantástica o Bolhas prepara-se para mais um mergulho.

Desta vez escolheu a magnífica baía de playmocity. O local não lhe é de todo desconhecido. Antes pelo contrário, desde rapaz que saltita por entre estas rochas sempre à procura de pequenos tesouros. Mesmo quando uma vez a água fico interdita por causa de uma descarga poluente da fábrica de tintas, o Bolhas chapinhava à beira da água, mal dando conta da espuma amarelada que se formava na margem, à descoberta dos seres vivos que desgraçadamente chegavam ali já sem vida.

 

Hoje, o mergulho é por boas razões. Os pescadores têm falado no regresso de uma espécie de peixe há muito desparecida da baía de playmocity e o Bolhas vai investigar e tentar um encontro imediato com algum exemplar!

 

 

...

Ora bolas que isto não é nada fácil!!

 

Ah e tal que era só segurar na vela, subir para cima da prancha e voilá. Voilá nada.

Nem em terra consigo ainda coordenar o equilíbrio e a força para por isto tudo a funcionar!

 

Coragem certo? Coragem, perseverança e não tarda nada estarei dentro de água!!

 

Fruto ou especiaria?

Uma personagem aterradora acaba de ser recebida na sala do trono. Ninguém foi autorizado a ficar do grande salão, tendo o próprio rei, revistado alguns recantos menos luminosos onde sabe que por vezes se escondem os lacaios que pretendem ouvir o que não devem. Com isto, o soberano correu a pontapé um dos moços de recados que se escondia por baixo da mesa de lavores da Rainha.

 

A verdade é que o soberano ouviu falar de um novo tipo de especiaria, ou um fruto, não se sabe muito bem o que é, trazida pelos portugueses da América do Sul: o cacau. Ouve-se dizer que com ele se faz uma bebida absolutamente deliciosa e bem... hum... parece que desperta alguns desejos mais secretos. Afrodisíaca diz-se. Mais parece coisas do Oriente!

 

Faz falta ao reino um herdeiro e as coisas com a Rainha não estão a ser fáceis. Quem sabe com este novo auxílio....

 

O acordo foi selado, com direito a documento comprovativo e tudo. A reputação do Pirata Ruivo precede-o onde quer que vá e o soberano confia na sua astúcia e experiência para que este obtenha a tão desejada especiaria... ou fruto... ou lá que é!

 

 

 

Negócios

Bahir é pastor. Tem um pequeno rebanho de ovelhas e algumas cabras. Vive sozinho, numa pequena tenda, nos limites de um pequeno oásis, onde se dedica a construir daff (instrumento musical árabe, semelhante a uma pandeireta). 

 

Não são muitos os turistas que por ali passam e não seria possível manter o seu negócio apenas através dos habitantes do oásis. Por isso, Bahir aguarda ansiosamente a passagem de qualquer caravana, a quem tenta vender o fruto do seu trabalho.

 

Halima e Safiya conhecem já bastante bem Bahir. Sempre que por aqui passam é certo que tomarão um chá juntos e certo é, que concretizarão algum negócio. Os daff de Bahir são já cobiçados por algumas lojas das principais cidades das redondezas, pelo que o Areias transportará para a cidade os sons do deserto na sua bagagem. 

 

Um gelado

O Tadeu este ano foi destacado para vigiar o cordão dunar que se estende ao longo da praia.

Alguns pequenos ladrões utilizam-nas como esconderijo, onde aguardam o melhor momento para furtar os veraneantes que se refrescam no mar.

Outra das suas atribuições é evitar utilizações menos correctas das dunas, como os veículos todo-o-terreno que destroem este ecossistema. E há ainda algumas crianças mais traquinas que se distraem ao brincar e que precisam de ajuda para encontrar os pais.

Foi isso que aconteceu à Joana, uma menina com uma imaginação imensa, que estava a brincar às caravanas do deserto com uma amiguinha e que partiu em busca de um oásis. Acabou por se desorientar e o Tadeu encontrou-a já ela choramingava com saudades dos pais. Enquanto esperam que os pais cheguem, o Ricardo dos gelados oferece-lhe uma gelado que ela devora já mais contente.