Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

Um ano depois...

A localização é secreta e o ambiente cavernoso.

O tesouro é valioso o suficiente para que se redobrem cuidados quanto ao seu esconderijo.

 

Apesar de bem sucedidos, o bando de piratas sofreu algumas baixas: um companheiro perdeu-se no mar numa abordagem a um galeão espanhol. Outro perdeu uma perna num disparo de canhão certeiro e o papagaio do capitão deixou-se apanhar por um soldado inglês.

 

O pacto era simples: durante 1 ano cada um saquearia o mais que pudesse. Terminados os 12 meses reecontrar-se-iam para partilhar os despojos. Eis o resultado:

- um baú de ricas roupas e respectivos adereços e jóias, conquistados a um navio da coroa espanhola que transportava parte da corte para as canárias;

 

- um cofre repleto de pedras preciosas proveniente de uma mina de África, com destino a terras inglesas;

 

- uma arca de madeira tropical a rebentar de moedas de ouro e prata conquistadas nas belas ilhas do Caribe.

 

 

Dia da Terra

A "terra" é o lugar de encontro da família e para os mais novos, rever os primos é sempre uma festa.

 

Na "terra" andam descalços e bebem água da fonte. Passam o dia e parte da noite na rua. Vão a casa para comer e dormir. A televisão é esquecida, e as bicicletas desfazem-se de tanto uso. Na "terra" as roupas de marca ficam arrumadas nos sacos de viagem e quaisquer calças cortadas em calções servem para entrar ribeira adentro à procura de rãs. Na "terra" chega-se a casa sujo, roto e com arranhões, mas com um enorme sorriso na cara.

 

Na "terra" partilham-se refeições, jogos e traquinices. Aprende-se a resolver zangas, a ouvir os outros e a encontrar consensos.

Na "terra" cresce-se um bocadinho todos os dias, em altura e no coração.

 

 

ps: sim, o dia da terra foi ontem, mas aqui fica a devida homenagem com um dia de atraso

A paixão da Família Nóbrega

Já vem de longe a paixão que os Nóbrega têm pelos cavalos. No currículo da família contam-se ínumeras participações em provas de saltos, dressage, gincanas e endurance, assim como são vários os seus exemplares que conquistaram títulos, pela excelência da reprodução.

 

Toda a família está envolvida neste projecto e nem os mais pequenos escapam. Desde bébés que respiram o ar das cavalariças e crescem muito próximo destes belos animais. Quando chega a sua vez de aprender a montar, tudo acontece com naturalidade e sem medos.

 

Actualmente possuem um conjunto campeão em endurance: A Ana e o Rofty.

A Puca, é a égua reprodutora que tem dado à luz os melhores equídeos.

 

Os primeiros dias de Primavera são magníficos para algumas limpezas e remodelações. As cavalariças vão ser renovadas e os animais vão ter uma casa totalmente renovada.

 

Cavaleiros

A vida de um cavaleiro do rei é dura. A época dos torneios começa com o solestício da Primavera e sua alteza gosta de ver os seus cavaleiros em plena forma e não admite derrotas para o seu reino. 

 

Os cavaleiros sabem que terão boa comida, um tecto e algumas moedas no bolso enquanto obtiverem bons resultados nos torneios e se baterem com coragem e empenho. A competição é pois feroz, para fazer parte desse grupo previligiado de homens que estão ao serviço e para entretenimento do rei.

 

É preciso dominar a técnica de várias armas, por isso os treinos são diversificados e intensivos e pouco tempo há para descansar, agora que os dias se tornaram mais longos e soalheiros.

 

 

Roubaram as jóias

O dia estava soalheiro e Manecas saiu para um passeio com a namorada.

No caminho, deparou-se com um aparato polícial pouco comum, tendo sido convidado a parar junto a uma das patrulhas.

Depois de lhe pedirem os documentos e de fazerem as perguntas habituais, pediram-lhe que saísse do carro e procederam a uma busca minuciosa de ponta a ponta do veículo.

 

Afinal, a fábrica do ouro situada a escassos quilómetros dali fora alvo de um assalto preparado meticulosamente, tendo sido roubadas inúmeras peças de ouro, que por se encontrarem danificadas, seriam recicladas e transformadas noutras peças, mais modernas.

 

Desconhecendo-se a rota dos fugitivos e o respetivo veículo, as forças policiais desencadearam uma operação de buscas exaustivas, para conseguirem interceptar os malfeitores.

 

Tobias, o tubarão

- Vasco Manuel, não te aproximes. Apesar de ferido e exausto o bicho pode magoar-te!

- Que disparate Raquel. Não vês que ele está encalhado na areia? Mal se consegue mexer!

 

- Pobre tubarão. Temos que o ajudar. Mas primeiro temos que lhe arranjar um nome...

- Ai estas raparigas. Eu e o Pedro vamos para ali e puxamos-lhe a barbatana lá de trás. Tu e a Rita empurram-no ali de lado.

- Já sei! Tobias! Vamos lá Tobias, não te vamos fazer mal. Fecha lá essa bocarra e pára de nos mostrar os dentes. Só te queremos pôr de novo a navegar.

 

Alguns esforços conjugados depois, os miúdos lá desencalharam o Tobias e este lá foi sarar as feridas em águas mais profundas.