Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

Corte vs Povo

O torneio anual que opõe o melhor arqueiro da corte, ao melhor homem em representação da aldeia tem lugar no último dia da colheita das romãs. O último dia da colheita é já ia de festa e começa sempre com a missa de benção do fruto colhido. O final do dia é então de festa, não sem antes de disputar o troféu da pontaria.

 

Este ano, cabe a Artur representar a aldeia. Ele nasceu e cresceu na aldeia à vista de todos, e todos o viram tornar-se num valente rapaz de olhos grandes e brilhantes. Começou como moço de recados, correndo daqui para ali descalço e sempre a sorrir. Descubriu o talento para o arco, já era moço e desde então pratica afincadamente. Dedicou-se a competir nos torneios das vilas e cidades vizinhas e num ano foi declarado campeão do condado.

 

Hoje debate-se pela honra da aldeia, e se ganhar, a festa será de arromba!

 

Caça ao veado

Sir Rodric aprecia sobremaneira a caça ao veado. No entanto, o que mais o atrai na caçada, é o desafio da perseguição, a paciência da espera, a arte da camuflagem. Modela o carácter, argumenta ele a favor do desporto. 

 

Suportar um valente aguaceiro, escolher o melhor esconderijo, seguir a pista do animal e dominar com mestria a arma escolhida, seja ela o arco, a funda, ou a besta, são aprendizagens de uma vida  que podem ser aplicadas em inúmeras situações.

 

Perdeu a conta às vezes em que, tendo o animal sob mira, desistiu de atirar, deixando o animal em liberdade.

 

O baile da Primavera

Amanhã Luísa apresentar-se-á na corte, no Baile da Primavera e conhecerá Martim, o príncipe herdeiro do reino.

O pai falou-lhe repetidamente na importância deste momento e ensaiaram até à exaustão as danças que por estes dias estão na moda nos salões de baile da corte.

 

Sir Rodrigo, o seu pai, é uma fiel amigo do rei e como prestou valorosos serviços ao reino enquanto pertenceu ao corpo de cavalaria real, foi agraciado com um condado, que tem administrado de forma exemplar e próspera. Por estes motivos, Luísa é uma forte candidata ao lugar de princesa consorte.

 

Não querendo desiludir o seu pai, Luísa receia no entanto pelo seu futuro. Cresceu rodeada de afecto pelos seus pais e tem noção que  sua educação foi no mínimo peculiar. Terá saudades das correrias a cavalo pelos campos do condado e de treinar a pontaria com os escudeiros do pai. Por outro lado, anseia conhecer a vida da corte e conhecer um pouco do resto do mundo. E claro, anseia por ter um marido que a ame e respeite e pelo que ouviu dizer, o príncipe Martim, que teve uma educação parecida com a sua, será bem capaz disso.

 

 

Os piratas chegaram!

O Forte Vermelho há muito que é alvo da cobiça de piratas de todo o tipo. E não é para menos. Aqui chegam não só as pedras preciosas, mas todo o ouro garimpado nas encostas e nas minas de toda a ilha.

 

Daqui partem depois navios literalmente recheados de ouro, com enormes escoltas, apetrechadas de armamento e de marinheiros e soldados prontos a defender cada navio dourado.

 

As investidas dos piratas são frequentes e a guarnição do Forte Vermelho não tem descanso. As vigias não podem soçobrar perante o cansaço, é preciso estar sempre alerta em relação a qualque rmovimento na costa. As armas têm que estar bem oleadas e a funcionar na perfeição, pois a qualquer momento serão necessárias.

 

Hoje é apenas mais um dia em que a bandeira pirata procura assenhorar-se do Forte Vermelho.

 

 

Carta ao rei

Sua Alteza Real, 
Tomei a liberdade de lhe escrever, a respeito do Baile da Primavera que terá lugar no próximo mês. Como sabeis, a minha filha Luísa terá idade para debutar este ano e apresentar-se para possível esposa do futuro herdeiro do reino, o seu filho Martim.
Luísa sabe escrever tão bem como contar. Maneja a espada, tão bem como a agulha de bordar. Monta a cavalo quase com tanta formosura, como  dança no nosso salão de baile.
Tenho a certeza de que será não só uma boa esposa para o herdeiro do trono, mas também a sua companheira de vida e isso nos tempos que correm é também importante. Nada me deixaria mais tranquilo do que ver a minha filha feliz num casamento desejado, ou invês de um casamento forçado.
Estes dois mensageiros que lhe entregarão a minha missiva, levam consigo um retrado da minha amada filha, que poderá ver com os seus olhos, é formosa, delicada e uma mulher muito bonita. Estou certo de que concordará comigo e que aceitará a minha Luísa no Baile da Primavera, onde poderá conhecer o Príncipe Martim.
Seu amigo sincero e leal
Sir Rodrigo


ps: por gentileza dai guarida por dois dias aos meus cavaleiros, para que conheçam a esplendorosa capital do nosso reino.

Alazão

O Alazão chegou à quinta há pouco tempo e ainda mal se habituou à sua nova casa.
 
Por outro lado, o Pedrocas já estabeleceu uma rotina que não dispensa: diariamente tem-se levantado sem queixumes ou pieguices e antes de ir tomar o seu pequeno-almoço, leva uma suculenta cenoura ao Alazão.
No final do dia, depois do trabalhos de casa feitos, novamente sem queixumes ou pieguices, passeia com o Alazão pela arreata no picadeiro da quinta. 
 
E tanta disciplina tem resultado: o Alazão já reconhece e confia no pequeno amigo.
Crescerão juntos e serão companheiros de vida.
 

A postos!

Tudo a postos na mais longínqua torre de vigia do reino!
Os rumores de uma guerra iminente com o reino vizinho ganham cada vez mais força, quanto mais pessoas estranhas percorrem as estradas do reino. Ninguém as conhece, pouco falam e olham atentamente para tudo e todos. Uns dizem que são espiões, outros que são mercenários, mas todos se sentem desconfortáveis na sua presença.
A Torre da Colina, possui uma guarnição permanente, pois a sua posição permite controlar as movimentações no reino vizinho e sim, de facto tem-se verificado um vai-vem constante de gente. Por isso a torre receberá uma companhia de cavaleiros do rei, que a partir de agora reforçara a segurança desta zona do reino.

Caça ao urso

O dia hoje é atarefado. Desde cedo que a caça ao urso começara e finalmente acabara com êxito.

 

Urso Veloz e Puma Ligeiro têm agora a árdua tarefa de esquartejar o animal, aproveitando quase tudo do grande urso:

- a carne será fumada e alimentará a tribo durante algum tempo;

- a sua pele vai ser curtida e dará bons agasalhos de Inverno;

- os ossos servirão para construir ferramentas e serão transformados em adornos e amuletos, que serão trocados com outras tribos.

 

A Lontra Sorridente prepara uma refeição para os dois índios que em breve estarão esfaimados após este esforço.

Logo à noite, farão uma cerimónia de agradecimento ao Grande Espírito. Cantarão e dançaram noite fora, celebrando as conquistas do dia.