Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

O plano

IMG_0545

 

Sopra uma brisa quente do mar.O sol está alto, cobrindo a terra de um manto dourado e reluzente.

A legião descansa como pode, em sombras improvisadas, procurando não gastar energia desnecessariamente. Não se ouve nem um bater de asas em redor do acampamento. Dir-se-ia que alguém tinha feito "pause" na vida do planeta.

No entanto, um  pouco afastado dali, um grupo de estrategas não se pode dar ao luxo de descansar agora. São os responsáveis pela operação militar que se desenrolará mais logo, a coberto da noite. Estão de volta de um mapa recentemente actualizado por um batedor e discutem a melhor táctica a aplicar.

Até agora a que reúne mais consenso é a de atravessar o estreito por mar, de madrugada e atacar a aldeia aos primeiros raios da aurora. Neste momento, a principal dificuldade é mesmo o calor estonteante  que se faz sentir, pelo que esta seria a melhor forma de potenciar a energia dos legionários. No entanto, os aldeãos que têm pela frente são famosos pela sua tenacidade. São guerreiros ferozes e estão habituados a uma vida dura, pois a sua aldeia tem sido sistematicamente atacada pelo império. Por esta altura já devem ter notado a presença da legião, pelo que qualquer que seja o plano de ataque, este tem que ser posto em marcha muito em breve.

De partida em breve

Os rumores da caserna têm sempre algum fundamento, por isso todos se preparam para partir em breve

Diz-se que o imperador não está ainda satisfeito com a dimensão do império e que quer estender os seus limites para lá daquilo que seria sensato. Alguns sussurram que o imperador tem abusado do vinho, outros que tem demonstrado sinais de demência, mas a verdade é que, até ver, é a ele que devem obediência.

Os centuriões têm passado horas seguidas nas suas tendas, estudando mapas e escutando os relatos dos batedores que chegam e partem com algum secretismo. Apesar de não se saber o que vai acontecer, todos se preparam para qualquer coisa.

 Os mais novos,cheios de nervoso miudinho e uma certa excitação, cuidam das armas e dos uniformes.Os mais velhos, velhas raposas de guerra, procuram apenas saborear mais algumas refeições decentes e outros simplesmente passeiam pelos campos em redor do acampamento, aproveitando mais alguns dias de paz.

Por sorte, a Primavera chegou, reduzindo substancialmente o desconforto dos soldados.

 

IMG_0556

 

Centuriões

Gaius, Tito e Adriano receberam hoje as suas insígnias de centuriões, numa cerimónia grandiosa no Coliseu.

Conheceram-se ainda a barba mal lhes nascia, quando eram moços de recados de soldados. Eram na altuta uns gaiatos maltrapilhos que sonhavam conquistar terras para o império.

Hoje, orgulhosos e de peito inchado, receberam as suas divisas. A partir de agora terão direito a uma parte maior das riquezas conquistadas e nenhuma mulher se recusará a deitar-se com eles. O seu rancho será melhorado, beberão o melhor vinho e montarão os cavalos mais corajosos. Mal podem esperar para ir ao encontro da sua nova legião e preparar planos de ataque a territórios inimigos e torná-los parte do império.

Têm a cabeça cheia de sonhos e têm a certeza que serão bem sucedidos.

 IMG_0547

 

O batedor

Sempre fui o mais pequeno do meu grupo de amigos. A minha mãe dava em doida a tentar que eu engolisse algumas colheres do pouco que havia para comer. A minha avó dizia que eu comia para sobreviver, que comia apenas o estritamente necessário para me manter vivo. Nem mais, nem menos, somente o necessário.

Na nossa pequena aldeia as hipóteses de ter uma carreira eram mínimas, por isso, sempre que as legiões enviavam emissários para angariar soldados, nós os rapazes da aldeia acorríamos na esperança de um futuro melhor.

Eu lá fui com os meus irmãos mais velhos. Eles e vários dos meus amigos lá iam sendo recrutados para este ou aquele posto. Eu fui ficando com os coxos e os doentes, até que um general, que tinha estado o tempo todo sentado a observar tudo, me perguntou se eu sabia caçar, fazer fogueiras e se tinha por hábito dormir ao relento. Ah e claro perguntou-me também se não me importaria de trabalhar sozinho.

Respondi a tudo com sinceridade e ele deu uma gargalhada, colocou-me a mão em cima do ombro e a partir dali tomou para si a tarefa de me transformar num batedor.

Sim, é isso que sou. Vou à frente da legião. Por vezes avanço meio dia, outras vezes mais tempo. Tenho por missão avaliar o inimigo, seja em povoações a conquistar, ou simplesmente a identifcar ladrõezecos de beira de estrada. Não tenho que exercer força bruta. Deixo isso para os verdadeiros soldados, que avançam após ter informado o meu general da situação a enfrentar, número de inimigos e potenciais perigos. Enquanto eles dão conta do recado, eu fico na rectaguarda, a tomar algumas refeições mais reconfortantes e a descansar o corpo em leitos mais suaves.

Para alguém que não sabe usar a espada que carrega, engano bem, não é?

IMG_0201

Formatura

A legião está em marcha!

Decorre a inspecção matinal, antes da partida para uma das frentes de batalha.

O império cresce continuamente de acordo com a vontade do imperador e seja para lutar, seja para manter a ordem junto dos povos conquistados, são muitos os recrutados para tomarem parte na legião.

 

A formação bélica e a preparação física de alguns é tão escassa, que só com muito esforço se mantém em pé, após envergarem todo o equipamento de um soldado. O legionário não está satisfeito com os novos recrutas, mas sabe que é praticamente impossível fazer mais ou melhor perante tão pouca adequação destes soldados.

 

Na sua opinião, a expansão do império está por um fio!

 

Gladiadores

Dentro de poucos dias, o imperador passará pela cidade e aqui ficará durante algumas semanas. O tempo é pouco para que a cidade se prepare para, condignamente, receber o seu soberano.

 

São inúmeras as actividades que estão a ser preparadas para acolher o imperador, entre saraus de música, lautos banquetes e obviamente, os jogos romanos que decorrerão no anfiteatro da cidade. Etes últimos estão a ser preparados com todo o cuidado, pois são particularmente apreciados pelo imperador.

 

Os participantes nos jogos treinam pois afincadamente, pois sabem que caso sejam capazes de agradar ao imperador, a sua cidade beneficiará de inúmeras regalias.

 

 

O teatro de Flavia Malacitana

Se pensam que nós os romanos só nos interessamos por lutas de gladiadores e corridas de quadrigas estão muito enganados!
E a prová-lo estão os nossos teatros espalhados por toda a parte. Este é o Teatro de Flavia Malacitana (Málaga).
Fechem os olhos e imaginem que no palco se desenrola uma tragédia romana: o discurso é elaborado e carregado de moral e sim há alguma violência em cena, mas este é o género mais apetecido por estes dias.
A assistência enche as bancadas, onde as mulheres mais nobres possuem uma aparência cuidada: vestidos longos combinados com mantos de corres vivas. Os penteados são elaborados e usam brincos colares e pulseiras de pedras preciosas.
Os homens, usam apenas uma túnica branca até aos joelhos, mas hoje, por ser uma ocasião especial, vestem também um manto bordado de lã.
É ainda de dia e por isso o espaço foi coberto, para que o sol para que a assitência possa disfrutar do momento!

Legionário

Ora digam lá se não estão quase iguais? É que não falta nenhum pormenor. 

Estes bonecos são o máximo.

E no caso destas figuras históricas, os detalhes são cuidadosamente pensados e reproduzidos nos bonecos.

É impossível não gostar de Playmobil!!

 

Em marcha!

 Finalmente, após algumas semanas de treino, os soldados romanos encontram-se aptos a marchar rumo a Pax Júlia, onde integrarão a legião que procurará alargar os limites do Império!

 

O moral das tropas é elevado. Cassius, o centurião acredita nos seus soldados e que estes terão uma boa prestação nas batalhas que se avizinham. Por enquanto, o clima é de franco entusismo e a esta distância, todos dão as futuras batalhas por vencidas!

 

A Romanização

- Como está a correr o treino dos seus soldados? Marchamos para terras lusitanas daqui a 10 dias.

- Sim, meu centurião. O moral das tropas é elevado. Os treinos são exigentes e há já alguns soldados que se destacam.

- Muito bem. Ao chegar a terras lusitanas, acamparemos numa cidade chamada Pax Julia. O plano é expandir o Império Romano ao que resta da Península Ibérica.

- Sim meu centurião. Transmitirei as ordens aos soldados. E esses lusitanos, senhor, são gente de guerra?

- Dizem que aquilo é gente que não se governa, nem se deixa governar...