Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

Passeio de Domingo | Sunday walk

IMG_9113

O primeiro dia de Primavera chegou e foi impossível manter as crianças em casa. O dia cheio de sol convidava a um passeio que os irmãos exigiam desde manhã. Trabalhos de casa postos em ordem e finalmente a mãe deu o aval para a saída. Dois enormes sorrisos prencheram a cara dos miúdos e lá foram eles saltitando rua abaixo, em direcção ao rio.

Junto à agua, tantas e tantas outras pessoas passeavam também, sorrindo a estes raios de sol ainda tímidos, mas a prometer muito e muito mais. Os miúdos pediram um balão e gelados, claro! O Ricardo dos Gelados sabe bem que a Eva gosta de morango, enquanto que o Diogo prefere caramelo. Ele sabe o quão importante é conhecer os fregueses!

 

The firs day of Spring has come and it was impossible to keep children in the house. The sunny day called for a walk that the kids had been demanding since morning. After school homework done, finally the mother called them to go out. Two big smiles lightened those small faces and there they went jumping around down the street, towards the river.

By the water, so many other people were strolling around too, smiling at those shy rays of sunshine promessing a very near Spring. The kids asked for a ballon and ice cream, of course. Ricardo, the ice cream man, knows that Eva likes strawberry and that Diogo preferes caramel. He knows how important is to learn about costumers taste!

A minha terra | My hometown

IMG_9139

Sabes Rui, nasci ali naquela casa, aquela com a chaminé mais alta. Nasci e cresci.

Corria descalça na rua e só calçava os sapatos para ir à missa e à escola. Naquele tempo, não sabíamos o que eram doces, a não ser no Verão, em que um amigo nosso vinha da Alemanha e trazia "borrachinhas", as gomas de que tu tanto gostas. Tirando isso, só havia umas broas bafientas e pouco gostosas, única coisa que conseguíamos comprar no café  do António, com as nossas escassas moedas. 

Carne havia pouca, por isso, todos aprendíamos a apanhar chocos, que sabíamos cozinhar de mil e uma maneiras. Andávamos sempre com os pés na água, ora a brincar com os caranguejos, a apanhar isco para vender aos pescadores de fim-de-semana, ou ao banho na rampa dos barcos. Passávamos os dias na rua e só regressávamos a casa, ao ouvir chamar por nós, já noite, com a humidade do rio embrenhada nos cabelos.

Cresci e como era boa aluna, fui estudar e trabalhar longe daqui. Suspirava todos os dias pelo vento que me descompunha a roupa, pelo cheiro da maré que se entranhava nos cabelos e pelo balanço dos barcos onde tantas vezes brinquei.

Rui, meu neto, esta é a nossa terra. Espero que sejas feliz aqui, tanto como eu fui!

 

You know, my grandson, i was born in that house, the one with the biggest chimney. Born and raised there.

I used to run everywhere barefoot. Shoes were only for the mass and school. In that time, we didn´t know what candys were, until the summer, when a friend of ours came from Germany bringing "rubbers", the gums that you love. Beside that, we only had some disgusting musty cookies, the only thing we could bought from António's coffe shop, with our few coins.

We had almost no meat, so we all learned to catch cuttlefish and we knew how to cook it in one thousand ways. We were always with our feet in the water: playing with the crabs, catching bait to sell to weekend fishers or bathing in the boat ramp. We spend all day in the street, only returning home when someone yelled our name, usually when the night already settled in.

I grew up and as i was a good student, i went study and work far away from here. I sighed every day for the wind that mess my clothes, for the smell of the tide that mixed up in my hair and for the balance of the boats where we used to play.

My grandon, this is my hometown, and yours. I hope you are so happy here, as i was!

Avó Quicas | Grandma Quicas

IMG_8952

A Avó Quicas tem cinco netos, e todos sem excepção ficaram ao seu cuidado dos seis aos doze meses, altura que foram por fim para a escolinha. Os últimos anos foram por isso um reboliço na vida da avó. Ela confessa que gosta de tomar o seu lanche em paz, mas que delira quando algum ou alguns dos netos lhe aparecem à porta a pedir o seu famoso chocolate quente com bolachas de manteiga.

Quando a azáfama era muita lá em casa, ela expulsava-os de casa, e manda-vos ir brincar para o parque, deixando-a a braços com uma cozinha inteira por arrumar, mas assim pelo menos, podia fazê-lo com um pouco mais de sossego.

Hoje os netos reuniram-se, para tirar uma fotogafia (só podia ser no parque), que lhe darão de presente com a seguinte dedicatória: "Para a avó mais fixe e a que faz o chocolate quente mais delicioso do universo!"

 

Grandma Quicas has five grandchildren and all, without exception stayed with her from six to twelve months, when they finnaly went to school. That´s why the last years were a rustle in grandma's life. She confesses that  she now enjoys very much take her afternoon snack quietly, but that the loves when one or even more of the kids come by, asking for her delicious hot chocolate with butter cookies.

When the children get to noisy or unseteled, she usually kicked them out to the street, to play outdoors, leaving her with a all kitchen to clean, but at least that way, she could do it more quietly.

Today the kids got together to take a picture that will be their present for grandma, with the following dedication: "To the coolest grandmother that makes the most delicious hot chocolate in the universe!"

Inquietude | Restlessness

IMG_8935

Se içamos velas e aproveitamos o vento somos loucos, inconformados. Inquietos, que devaneiam em busca de uma quimera ou da perfeição. 

Se nos refugiamos em porto de abrigo, seguro e protegido, somos cobardes, pouco corajosos, conformados, inacapazes de lutar pelo que somos ou queremos.

Deixemo-nos ir, seguindo ventos e marés do nosso coração e da nossa vontade. Importa encontrar o rumo da nossa felicidade e encontrar aquele balanço que nos alenta o dia-a-dia e que nos faz sorrir e disfrutar do nosso mundo, alheios a opiniões ou convenções.

 

If we set sail in the wind we are insane, nonconformist. Unsetlled that daydream insearch of a chimera or perfection.

If we stay in a safe harbour, safe and protected, we are coward, without corage, conformed, unable to fight for what we want and what we are.

Let´s go, following the wind and the tide of our heart and will. We must find the course of our hapiness and find that balance that encourages our daily life and that makes us smile and enjoy our worl carless about opinions and conventions.

O acidente | The accident

IMG_5821

Endiabrado como ele só, o Ricardo é daqueles gaiatos que não pára um segundo quieto. É assim desde pequeno. Ainda mal sabia andar e já tentava o que não conseguia: trepar pelos baloiços mais altos, chegar às escadas mais altas, subir os montes mais acidentados. 

Já mais crescido descobriu primeiro o triciclo, depois a trotineta e finalmente a sua paixão: as bicicletas. Sempre destemido, galgava por todo o lado com a bicicleta. Escadas, declives, desníveis,... qualquer obstáculo era ultrapassado com a ajuda da bicicleta. E com a prática, o Ricardo foi ganhando confiança e arriscando cada vez mais.

Era certo e sabido que algum dia iria acontecer um acidente. Diziam os pais e diziam todos os vizinhos da rua. Mas isso não abrandava a vontade do Ricardo de se superar.

- Foi por muito pouco! - dizia ele aos bombeiros que o socorreram.

- Mas, estava mesmo quase! - respondia ele, quando eles lhe diziam que tinha que ter mais cuidado.

- Quando é que posso tirar isto? - perguntava ele à mãe, que torcia as mãos de nervosa, apontando para as ligaduras.

- Calma rapaz, ainda temos que ir ao hospital, verificar se não tens nada partido! - disse o bombeiro 

- Que seca! Mãe, levas a minha bicicleta para casa? E pedes ao pai para ver se não ficou nada partido? Quando chegar tenho que voltar a tentar! - disse o Ricardo enquanto os bombeiros o colocavam na ambulância. 

 

Ricardo is one of those boys who can't stop still for a second, since he was a little guy. He barely walked and already wanted to climb up everything: toys, stairs, trees. He was unstoppable!

First he found out tricycle, then he discovered is passion: bicycles. Fearless, he took the bike everywhere: stairs, slopes... any obstacle was overtake by the boy and his ability. He began riskiing more and more.

It was known that sooner or later, an accident would happen. But that didn't stopped Ricardo from atempting new skills.

- But i was so close, i almost did a new manouver! - said the boy to the fireman that came to help him from one of his falls.

- Mom, can i take these off? - asked the boy, pointing to the bandages that fireman did for precaution.

- Calm down kid, we have to go to the hospital and check if there's nothing broken. - said the fireman concealing a smile.

- Oh no! That's so boring!! Mom, can you take my bike home and ask dad to see if there's nothing broken with it? I have to try again that stunt! - asked Ricardo, while the fireman put him in the ambulance.

Heli em missão | Rescue chopter

IMG_7095

Fazem uma boa equipa, a Joana e o Marco. O Marco sempre quis ser piloto de aviões, mas uma oportunidade para pilotar um helicóptero, transformou-lhe o caminho das certezas e ainda que mantendo-se no ar, trocou de paixão.

A Joana é enfermeira, porque não conseguiu ser médica. Até fazer equipa com o Marco esse sonho ainda a atormentava, mas este desafio permitiu-lhe, finalmente, entregar-se à profissão com paixão.

Ele pensa em fazer um curso de socorrista, paramédico ou tripulante de ambulância.

Ela deixou de estudar para exames de uma profissão que já não vai ter.

Estão felizes e isso faz toda a diferença!

 

Joana and Marco make a good team. Marco always wanted to be a plane pilot, but since he had the opportunity of flying a chopter, his passion changed, and despite still being in the air, his passion changed.

Joana is a nurse, because she didn't make it to be a doctor. Until she teamed up with Marco, that dream still tormented her, but this challenge changed her too, and she finally was able to became a nurse without regrets and with love.

He thinks about taking a course to be a rescuer, paramedic or ambulance crew.

She stop studying for the exams for the profission she will never have.

They're happy and that makes all the difference!

Praia | Beach

IMG_6591

Chegaram à praia muito cedo. A areia bem lisa, tem apenas as pegadas das gaivotas que por ali andaram a esticar as patas ao romper da aurora. Parece uma página de um livro em branco em que apetece escrever. São poucas as pessoas que já chegaram, por isso ouve-se apenas o mar a cantar para a areia, beijando-a suavemente e uma ou outra gaivota que crocita incomodada com a presença dos humanos no seu pedaço de paraíso.

Os miúdos simplesmente contemplam este cenário, por uns instantes, antes de desatarem a correr por ali fora em direcção ao mar. Na sua cabeça já correm mil planos de coisas para fazer ao longo do dia. A última gaivota partiu, para só regressar mais tarde ao pôr-do-sol e assistir à chegada da faina, para obter uma refeição fácil.

A pouco e pouco, a praia recebe mais gente e já pouco se ouve da canção de amor do mar. Poderão ouvi-la mais novamente mais logo, quando o último chapéu-de-sol se fechar e a última tampa do lixo bater e a praia ficar novamente entregue às gaivotas.

 

They arrived early to the beach. The sand is flat and smooth, with only a few seagull footprint that went by at crack of dawn. It looks like a blank book page ready to be written. Just a few people have arrived, so you can hear the sea singing to the sand, while softly kissing it. One or two seagulls yell stressed out with human presence.

The kids stare at the scenay for a moment, just before start running wild towards the sea. In their heads a thousand plans are being made to do great things along the day. The last seagull left. It will return later on to check how the fisherman did, and get a free easy meal.

The beach is getting crowded, and none can ear now the sea love song no more. It can only be heard again when the last sun hat is closed, the cover of the garbage bin slam for the last time and when the seagulls return to their beach.

Patins em linha | Inline skates

IMG_6538

A avó queria que ela fosse bailarina, mas as sapatilhas pareciam não se adaptar aos seus pés, os collants faziam-lhe comichão nas pernas e tinha muita dificuldade em gostar da música. Apesar de tudo, tinha alguma graciosidade e elasticidade necessárias. Não era a melhor da classe, mas também não era a pior. Faltava-lhe no entanto a paixão e isso era inegável. Foi a própria avó que trocou as sapatilhas pelos patins em linha e o maiô por um capacete.

E tudo o que faltava no ballet, nos patins em linha surgiu facilmente: a paixão, a entrega, o querer sempre mais, o treinar apesar de todo o corpo doer. E o brilho intenso dos olhos que a neta trazia para casa depois de dominar mais uma manobra, davam à avó a certeza de ter feito a escolha certa.

 

Grandmother wanted her to be a ballerina, but seemed like ballet shoes where unable to fit the girls feet, tights itch her legs and she found very difficult to like the music. She had some skills: gracefulness and elasticity. She wasn´t the best of the class, but she was not the baddest either. She laked passion, that was undeniable. It was grandmother herself that switched ballet shoes for inline skates and dance leotard for a helmet.

All of a sudden, all things missing in ballet, came up easily: the paisson, the commitment, the effort. The girl practices over and over again until her body hurt. And the sparkles in her grandchild eyes after beeing abble to performe a new skill, gave granny the certainty that the right choice was made.

Castelos na areia | Sand castles

IMG_6583

A Maria e o Manel ficaram amigos logo no primeiro dia. Descobriram rapidamente que dois baldes é melhor do que um e que com pás e ancinhos a trabalharem em conjunto conseguem fazer construções muito maiores e melhores.

Já não passam um sem o outro e todos os dias escolhem uma construção nova para fazer. Normalmente o projecto muda várias vezes e o resultado final fica longe do inicialmente previsto, mas os catraios divertem-se à brava a ir buscar areia mais molhada ou mais seca, de acordo com as necessidades, em destruir e voltar a construir. Passam horas naquilo, contagiando toda a gente com as suas gargalhadas sinceras.

Porém, nem tudo é um mar de rosas. A amizade é posta em causa várias vezes por dia, por desacordos típicos de crianças: ora porque era a vez da Maria ir buscar água, ora porque o Manel fez uma torre no sítio errado. Enfim, entre ameaças de dissolução da amizade e banhos refrescantes, mas solitários, lá acabam por se entender novamente e voltar a trabalhar e a brincar juntos. As férias são mesmo a melhor altura do ano!

 

Maria and Manel became friends right at the first day they knew each other on the beach. They found out very quickly that two buckets is best than a single one, and that a shovel and a rake working together can make better and larger sand constructions.

In these days, they can't live without each other, and every day they choose a new construction to build. Usually the project changes along the way, and the final result is often quite different from the original, but somehow the kids manage to have fun destroying and building it up again. They spend hours playing and eveyone around them can't help but smile at their laughter.

However, it's not always that peacefull. Friendship is questioned several times a day by child disagremments: because it was Maria's time to pick up water, or because Manel built a tower in the wrong place. But they quickly find out that bathing alone is not that fun and that the sand construction isn't that good when you don't have a partner to share tasks, they pu their issues aside and manage to became friends again to work and play together once more. vacaccions are the best of times!

O roubo | The robbery

 IMG_6258

A família Rebelo estava a caminho das férias, quando foi alvo de uma operação policial. Um perigoso bando de ladrões anda a monte e a equipa tem ordens para revistar cuidadosamente todas as viaturas que passarem por aqui. Os bandidos têm na sua posse vários milhares de euros em dinheiro e peças de arte sacra que têm vindo a furtar de várias localidades. A polícia desconfia que eles se possam estar a desfazer do saque, por já saberem que estão a ser perseguidos.

Saíram todos do carro enquanto viam os polícias a desarrumar as bagagens que tão meticulosamente tinham encaixado no porta-bagagens. Parecia que estavam no aeroporto, tal o grau de minúcia com que analisaram cada mala. Apenas o saco dos brinquedos do Manel escapou à operação.

Ao terminar, os agentes agradeceram a paciência da família, desejaram umas boas férias e desejaram uma boa viagem.

Após deixarem os polícias, o Manel abre o seu saco de brinquedos, tira lá de dentro uma pequena estatueta de um homem que traz aos ombros uma criança.

- Pai, que santo é este?

- São Cristovão, meu filho. Patrono dos viajantes. Eu bem disse que devíamos trazer este. Vai-nos valer bom dinheiro! - exclamou o pai.

 

Rebelo family were on the way to the vacations, when stopped by a police operation. Looks like a dangerous gang of criminals is on the loose and the officers have orders to carefully search all the vehicles. The gang have in their possession thousands of euros and several pieces of religious art wich have been stolen from many little villages. Police suspects that the gang is getting rid of the objects, now that they know that they are beeing persued.

The family went out of the vehicle, and watched the officiers taking all the luggage that was carefully packed, out of the car, and examine it with lots of attention. Only Manel's bag of toys escaped the search.

After finishing, the officiers thanked for the family patience, and wished them happy vacations and a safe drive.

As hitting the road, Manel opens the bag of toys, and takes a small statue from a man carrying a children in the shoulders.

- Dad, who is this saint anyway?  - asked Manel.

- Saint Christopher my son. Protector of the travellers. I told you that we should bring this one. It's gone make us a lot of money! - said dad with an evil smile.