Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

PLAYMOBLOG

Estas pequenas figuras foram os heróis da minha infância. Os clicks valeram-me horas de brincadeiras partilhadas com os amigos lá da rua. Estiveram vários anos encaixotados. Hoje são um legado para a minha filha.

A tribo em perigo | Endangered tribe

IMG_6194

O caminho pelo desfiladeiro é longo e perigoso. Os cavalos estão nervosos e todo o cuidado é pouco, pois uma queda seria fatal. Urso-Valente e Puma-Ágil dois dos mais bravos índios da tribo, procuram acalmar os animais, pois a sua missão é por demais importante: a guerra chegou ao seu território e eles procuram ajuda junto da tribo vizinha.

Outrora aliadas, as duas tribos formavam uma aliança poderosa e todo o território vivia em paz. Com o tempo, e porque a paz reinou então durante muitos anos, todos se esqueceram de preservar e manter a velha aliança. O egoísmo tomou a melhor e as tribos vivem agora praticamente de costas voltadas .

Hoje, o homem-branco ameaça o território e uma das tribos corre perigo. Apenas se houver entre-ajuda haverá guerreiros suficientes para fazer frente ao inimigo. A sobrevivência da tribo depende das capacidades de negociação de Urso-Valente e Puma-Ágil.

Que os grandes espíritos os acompanhem nesta missão!

 

 

The canyon's path is long and dangerous. The horses are edgy and they have to be very carefull, as a fall will be certainly fatal. Two of the most brave indians from the tribe, Brave-Bear and Agile-Cougar keep calming down the animals, as their mission is to important: war is on the doorstep of the tribe's territory and they must seek help within their neighbours.

Once allys, the two tribes had a powerfull alliance and all of the territory lived in peace witch was established for many years. Therefore everyone forgot to preserve it and make the alliance endure. Selfishness took advantage and nowadays the tribes live completly apart from one another.

Today, the white man threatens the territory, and one of the tribes is in danger.There can only be enought warriors to face the enemy, if the tribes join forces together. The survival of the tribe lies in Brave-Bear and Agile-Couga's hands and in their negotiation skills.

May the great spirits be with them on this mission!

Sorriso-Dourado e Raio-de-Luz | Golden-Smile and Ray-of-Light

IMG_6189

 

A relação do índio com o seu cavalo, é uma coisa muito especial. As leis da tribo mandam que cada índio deve apanhar e domar o seu próprio cavalo e assim estabelecer desde cedo uma relação forte e duradoura com o animal.

Depois de participarem na primeira caçada da tribo, os índios mais jovens são considerados aptos a caçarem o seu cavalo. Muitos precisam de várias tentativas para o conseguirem. Outros nem por isso.

Sorriso-Dourado acabou de conseguir apanhar o seu. Demorou um dia inteiro. Só o conseguiu, mesmo ao pôr-do-sol, quando os últimos raios de luz do dia tocavam a terra. Chamou-lhe então Raio-de-Luz e o animal pareceu gostar. Os dois passarão agora três dias sozinhos. Irão conhecer-se e aprender a confiar um no outro.

Ao final dos três dias, regressarão para junto da tribo, onde será realizado um cerimonial de consagração junto ao totem da tribo. Os índios acreditam que, se ao fim destes três dias o animal não fugir, foi porque os espíritos de ambos se uniram e apenas se irão separar com a morte de algum deles.

Longa vida a Sorriso-Dourado e a Raio-de-Luz!

 

 

The relationship between an indian and his horse is a very special one. Tribe laws says that an indian should capture and tame his own horse, and established early a strong and longlasting relation with the animal.

Young indias are considered able to capture horses, once they take part in one of the tribes hunt for food. Many need several days to accomplish the task. Others don't need that long.

Golden-Smile had just achieved that goal. It took him all day long, and it was just at the sun down, when the last rays of light touched the ground that he got it. He called the horse Ray-of-Light and the animal seemed to like it. The two of them will spend the next three days alone. They will learn about each other, how to bond, and trust one another.

By the end of these days, they will return to the tribe, were it will be performed a consecration ritual by the tribe's totem pole. The indians believe that, if the animal doesn't escape by the end of the three days, that's because bouth spirits came together in a special bond, witch can only be broken with the death of one of them.

Long live Golden-Smile and Ray-of-Light!

A caçada | The hunt

IMG_6190

Há vários dias que o grande urso pardo se aproxima cada vez mais do acampamento. Deve estar com fome, para arriscar aproximar-se tanto assim. Mas a verdade é a situação começa a ficar preocupante e já há quem receie o que possa acontecer das próximas vezes que o urso se aproximar ainda mais.

A situação é tão séria, que foi convocado o conselho de tribo. Junto ao totem da tribo, a fogueira foi acesa pelo feiticeiro, que lhe juntou algumas ervas que aromatizam o ar e convidam à paz e serenidade. Depois de duas horas de conselho, a decisão foi tomada: o urso seria morto.

Os índios não matam de qualquer maneira um animal, muito menos um urso. Mas este urso que ronda o seu acampamento deve ser já muito velho ou estar muito doente, para não se conseguir alimentar e precisar de se aproximar dos homens.

Kayke e Aukanaii, os mais valentes caçadores da tribo foram escolhidos para a caçada e partiram cedo esta manhã. A tribo espera-os, para que no seu regresso o urso seja consagrado aos grandes espíritos junto ao totem. A pele do urso servirá para agasalhos novos. Se não estiver doente, a sua carne será alimento e os seus ossos serão transformados em utensílios, ferramentas e brinquedos para as crianças. Os índios acreditam que desta forma o espírito do urso será honrado.

Boa caça Kayke e Aukanaii!

 

 

It's been a few days since a big grey bear is getting closer to the camp. The animal must be starving as it continues do get closer and closer.The indians are worried and afraid of what the bear might do if and when it enters the camp.

The situation is serious enought to summon up the tribe council. By the totem pole the sorcerer lightened the fire and added some herbs that invite do peace and serenity and keep a nice warm smell in the air. After two long hours, the council reached a decision: the bear had to be killed.

Indians don't kill an animal for no reason. Not even a bear. But this bear must be very old or very sick for not be able to feed itself anymore and need to came closer to the camp to find out some food.

Kayke e Aukanaii, the bravest hunters of the tribe were chosen to the task and left camp early in the morning. The tribe waits their return to devote the bear to the spirits by the pole. Bear's skin will be turned in to clothing. It's meat will feed the tribe and it's bones will be pocessed to became tools and toys for the children.

Good hunt Kayke e Aukanaii!

O peixe mais saboroso

IMG_5462

Nas águas frias e cristalinas do Rio Azul encontra-se o peixe mais suculento da região. Apesar do nome, Urso-Distraído sabe melhor do que ninguém o troço do rio para os pescar. Sai cedo pela manhã. Mal o sol se começou a espreguiçar e já está ele a saltar para dentro da sua canoa. Tem ainda um bom bocado para remar, até que por fim chega a uma parte do rio, mais baixa, cheia de pequenas pedras que formam pequenas grutas e reentrâncias. É aí que o peixe se esconde e abriga,  descansa e se reproduz. E onde a pesca é ainda abundante.

Noutras zonas do rio, a chegada dos homens sedentos de ouro, turvou a água e transformou a corrente límpida numa torrente de lama e detritos, assustando os peixes, matando-os e obrigando-os a fugir.

Por isso, Urso-Distraído não se ilude com a abundância desta parte do rio e pesca apenas o suficiente para si e para a sua tribo, ciente que o peixe em breve escasseará.

Ao chegar, o peixe é temperado com as ervas frescas acabadas de apanhar por Andorinha-Sorridente, que o sabe cozinhar como ninguém. O cheiro é intenso e delicioso. Não tarda que se espalhe e que o resto da tribo se aproxime para tomar a sua refeição.

O totem novo

20170719_195545

 Kayke tem em mãos uma tarefa árdua: daqui a alguns dias celebrar-se-á a festa das nove luas e a tribo ainda não tem totem, fruto de um fogo florestal que deflagrou e que inclusivamente destruiu parte do acampamento.

A tribo depositou em Kayke a responsabilidade de talhar um novo totem, reconhecendo a sua tremenda habilidade. É uma honra do mais alto nível e ele não quer defraudar as expectativas de todos.

Primeiro foi preciso encontrar a árvore certa: o tamanho em primeiro lugar e em segundo a maciez da madeira, para se poder trabalhar.

Encontrada a àrvore, foi preciso consultar os anciãos e escolher com eles os símbolos a entalhar, representativos da história da tribo: o grande chefe Águia Silenciosa, que arrancou escalpes em grande número e que defendeu os territórios da tribo desde tenra idade, o feiticeiro Raoni que salvou a tribo de uma doença particularmente mortífera e claro Anahí, a índia mais bela e que originara a maior descendência da tribo, entre tantos outros feitos.

O trabalho corre bem a Kayke. Está certo que completará a sua tarefa e que a tribo erguerá novamente o seu totem na noite de lua cheia do festival das nove luas.

A poção

 IMG_2468

Ao pôr-do-sol, decorre a preparação da poção que os novos guerreiros da tribo irão tomar, na cerimónia que marca a sua passagem de meninos a homens.

Manda a tradição que a mesma seja preparada por uma jovem rapariga, já mulher, mas virgem, e este ano a escolha recaiu sobre Araci, que quer dizer Estrela d'Alva. Araci nasceu precisamente quando Vénus despontou no céu e logo o feiticeiro da tribo o assumiu como um excelente presságio.

Os ingredientes da poção devem ser o mais frescos possíveis, por isso, Ibiajara, cujo nome significa Cavaleiro do Planalto, está encarregue de ir onde for preciso buscar cada produto que Araci lhe pedir.

Todos estão em silêncio, excepto Itaji, o feiticeiro da tribo, que supervisiona cada momento e vai murmurando os seu feitiços, rezas e cantinelas, para que a poção desempenhe o seu papel mais logo, quando a noite cair.

Seguindo a pista

Milhafre-Veloz tem a árdua missão de encontrar água para a tribo. Aestação seca já vai adiantada e as reservas existentes nos locais habituais começa a escassear. Esta tarefa é de extrema importância para a tribo, pois se não for encontrada água em breve, a tribo terá que se deslocar para um novo território com mais recursos, e isso traz sempre conflitos, quer com outras tribos,quer com o homem branco.

 

Por isso, todos os anos MIlhafre-Veloz, que tem vindo a apurar a sua técnica, sabe que assim que a água começa a escassear, ele tem que partir e encontrar nas proximidades esse recurso tão precioso.

 

Uma das técnicas utilizadas, é seguir a pista de alguns animais, que mais tarde ou mais cedo também precisam de saciar a sede. É isso que Milhafre-Veloz está a fazer: olhos postos no chão,analisando cada pequeno indício que lhe possa indicar o trilho ulizado por qualquer animal até à água.

 

Caça ao urso

O dia hoje é atarefado. Desde cedo que a caça ao urso começara e finalmente acabara com êxito.

 

Urso Veloz e Puma Ligeiro têm agora a árdua tarefa de esquartejar o animal, aproveitando quase tudo do grande urso:

- a carne será fumada e alimentará a tribo durante algum tempo;

- a sua pele vai ser curtida e dará bons agasalhos de Inverno;

- os ossos servirão para construir ferramentas e serão transformados em adornos e amuletos, que serão trocados com outras tribos.

 

A Lontra Sorridente prepara uma refeição para os dois índios que em breve estarão esfaimados após este esforço.

Logo à noite, farão uma cerimónia de agradecimento ao Grande Espírito. Cantarão e dançaram noite fora, celebrando as conquistas do dia.

 

 

Negociações

O problema é que desde que começaram a garimpar perto do território índio, que o rio, outrora límpido e cristalino, é agora uma corrente de lama e pedras. Os peixes estão a morrer e as margens do rio, despidas de vegetação para facilitar o acesso ao rio, estão a ruir e a desviar o seu curso.

 

Os índios, que até há pouco tempo tinham água para beber e peixe para pescar em abundância, nada mais têm agora, do que um esquálido fio de água pardacento, que mal tem forças para correr. Em breve a tribo terá problemas para equilibrar a sua dieta e percorrem agora diariamente uma distância significativa, para assegurar o abastecimento de água à tribo.

 

Foi para negociar a utilização do rio que os homens mais importantes se reuniram. Os índios exigem que seja resposto o caudal do rio. Os homens brancos sugerem que a tribo se mude de sítio.

 

Prevêem-se negociaões difíceis... 

 

 

O filme

O estúdio de cinema Claquete Clik prepara um documentário sobe os índios das grandes planícies.

 

Uma das actividades mais frequentes destes índios, eram a caça de animais de grande porte, que os abastecia de carne, pele e couros para a confeção de inúmeros artefactos, sobretudo a cobertura das tendas cónicas (tipis) em que viviam pelo menos uma parte do ano.

 

É precisamente essa actividade Roberta a produtora escolhida para liderar este projecto e Roberto, o mais talentoso repórter de imagem do estúdio, que procuram reproduzir hoje. Para os ajudar, contam com o robusto Manolo, que encarnou na perfeição as características dos índios: aprendeu a montar a cavalo apenas com uma manta, a dominar a lança de caça, não a largando nem para ir às compras e passando a tomar banho no rio da floresta onde é filmado o documentário.

 

O urso Misha, apesar do ar feroz, é doce como o mel e por isso recebe guloseimas de toda a equipa.

 

 A película será um sucesso!